domingo, 15 de julho de 2012

Discurso como Paraninfo dos formandos de Pedagogia e Geografia das FIC


Boa noite formandos, colegas professores e funcionários, diretores, pais, familiares e a todos os demais presentes aqui nesta noite de felicidade e de conclusão de mais uma etapa de nossas vidas.

Eu sou um ser humano. Eu tenho sonhos. Vocês, formandos, são seres humanos. E também têm sonhos. Pais, mães, parentes e amigos também são seres humanos e todos têm sonhos. Nós todos somos seres humanos e, portanto, temos sonhos. E hoje, aqui, nesta noite, um de nossos sonhos se torna realidade. Muitos de nós nem nos conhecemos direito mas tínhamos um sonho em comum: o de ver uma dessas pessoas aqui formada.

Um sonho coletivo! Como muitos que temos. Certamente, vários aqui se já se imaginaram caindo do nada e de repente acordamos! Ou que estamos correndo, mas indo para lugar nenhum ou ainda com a sensação de que já estivemos num determinado lugar.  Afinal, somos humanos, e temos sonhos. E nada mais bonito do que poder ajudar uma pessoa a realizar o seu sonho. Acho que quando alguém diz para outra que ela nunca irá conseguir fazer isto ou aquilo tenho a clara sensação de estar vendo um amanhecer sem sol ou uma chuva sem água. O que é o ser humano sem sonhos?

Tenho dois filhos e eles sempre veem até a mim para contar os seus sonhos e, eu, pai, amigo deles, direi a eles: esquece isso, Duda, esquece isso Filipão, vocês nunca conseguirão fazer isso? Eu? Não! Ninguém tem esse direito. Nem mesmo quem o sonhou. Acho até que a palavra nunca, jamais deveria existir.

Vocês, formandos, completaram uma etapa da vida de vocês. Para alguns, o caminho foi mais irregular, com mais obstáculos, dificuldades, apertos. Mas, o mais importante é que estamos todos aqui hoje celebrando uma vitória? Valeu a pena? Tudo vale a pena se a alma não é pequena, disse Fernando Pessoa. No entanto, essa pergunta, para vocês ainda não tem resposta porque um diploma de curso superior por si só não diz muita coisa. O que vale é o que você aprendeu e mais: o que você poderá fazer com o que aprendeu.

Esse diploma, para muitos pais, significa o estudo que eles não tiveram e puderam dar a seus filhos. Para eles isso é um sonho realizado. Para outros, esse diploma é um objetivo pessoal ou de uma família inteira. A esperança de um emprego e uma vida melhor. Ou seja, um outro sonho a ser conquistado.

E por que a todo momento repito que somos humanos e temos sonhos? Porque às vezes, com tanta correria de acordar cedo para ir trabalhar e do trabalho para a faculdade, com apenas um lanche rápido antes da aula ou só com o almoço na barriga até o término da faculdade para chegar em casa e jantar, para economizar, esquecemos disso. De que somos humanos e de que temos sonhos.

E aí, fica a lição do professor Florestan Fernandes que deu um conselho fantástico para todos aqueles que acreditam que é a educação, de alguma maneira, que pode mudar uma sociedade:

"Ou os estudantes se identificam com o destino do seu povo, com ele sofrendo a mesma luta, ou se dissociam do seu povo, e nesse caso, serão aliados daqueles que exploram o povo". E acredito que todos nós aqui, além de humanos, somos do povo, e queremos lutar para mudar o destino deles, tornando-o menos sofrido e não explorá-lo.

Nesta noite, eu também realizo um sonho pessoal: o de ser paraninfo de uma turma de formandos e poder discursar para eles, mas o que é a vida senão cheia de ótimas surpresas. Pela primeira vez, um professor é convidado por duas turmas para ser paraninfo. Não sei se mereço tanto, mas é uma grande honra para mim. Eu tinha um sonho e o vejo realizado. Agora tenho outro e espero que me ajudem a realizá-lo também: espero daqui a alguns anos encontrar com vocês e me dizerem “Dinário, terminei meu Doutorado, agora sou Doutor” ou “Dinário, graças ao que aprendi na faculdade pude realizar o sonho do meu filho”.

Bendito aquele que sonha porque é de sonhos que estão nossas realizações. Obrigado. Boa noite.

Um comentário: